domingo, 27 de julho de 2008

" Em angola não tem gatuno..."






Domingo, 27 de Julho

Hoje decidimos fazer-nos a estrada rumo ao interior de Angola, seguindo a estrada de Cambanbe. Saímos pelo norte de Luanda tendo que fazer a congestionada (inclusive ao domingo!!) ligação até Viana.

Quando já seguíamos à cerca de uma hora em fila, somos interpelados pelos agentes de autoridade que nos mandam parar. Enquanto um falava com o condutor, o outro dirigiu-se aos passageiros pedindo-nos a identificação. Ao entregar-lhe fotocopia autenticada do meu passaporte fez cara estranha e pediu-me para sair do carro dizendo "tem de sair do fresco do carro e habituar-se ao calor de Angola", lá anuí sorrindo..
Após vários minutos de conversa convencendo-o de que uma fotocópia autenticada tem valor, o agente exclama: "Sr Antunes tem que andar com o original, porque usa cópia? Em Angola não tem gatuno...!!"
Após este pequeno incidente lá seguimos viagem...

Após vários quilómetros por caminhos "pouco mexidos pelo homem", com bonitas paisagens onde os imbondeiros são abundantes, e quando a gasolina já escasseava decidimos ficar-nos pelo Dondo .

O Dondo é uma cidade pobre e pequena do interior, algo fustigada pela guerra (as marcas de bala são visíveis em muitas das habitações), onde as pessoas vivem da agricultura.
Ao invés de Luanda aqui as crianças têm sorrisos francos e as adultos ajudam sem esperarem "gasosa":)


Foto 1 e 2 - O dia a dia destas populações...crianças brincando alegremente na rua e mulheres vendendo fruta e legumes na beira da estrada, respectivamente

Foto 3 - O sol a por-se por trás de um imbondeiro

terça-feira, 22 de julho de 2008

Uma outra Angola...










Domingo, 20 de Julho

Este domingo tive a oportunidade de deixar Luanda e visitar outra Angola.
Uma Angola com praias interessantes de aguas quentes e paisagens naturais de grande beleza.

Nestas zonas de praia existem comunidades pescatórias que vivem de forma muito rudimentar, sobrevivendo da pesca e da seca de peixe. Vivem em cabanas de madeira cuja a casa de banho resume-se a uma bacia no exterior e os animais andam soltos, pela praia inclusivé (ver foto).

Aqui, ainda, se vêm crianças com largo sorriso inocente...contudo também já se vêm também jovens que ao avistarem turistas..gritam logo "Gasosa!!"

Este dia de praia e contacto com a natureza funcionou como bom um "escape" permitindo-me abstrair da tensão e confusão constantes de Luanda.

Foto 1 - Caboledo - vista da praia e restaurante de praia; (lá estão as galinhas à solta pela praia, tb avistei um macaco por lá)
Foto 2 - Sangano - vista sobre praia e aldeia piscatória;

Foto 3 - Vista do Miradouro da Lua - Bela paisagem rochosa, que termina na praia;

sábado, 19 de julho de 2008

Luanda - cidade em obras














(Ao fim da terceira semana, finalmente consegui carregar fotos)



Luanda é neste momento um estaleiro, com a aproximar das primeiras eleições legislativas (5 de Setembro) dos ultimos 16 anos, as obras proliferam a um ritmo ,ainda, mais elevado pela cidade.
Além da construção de edificos, nesta altura são abertas e fechadas ruas diariamente, para tapar buracos, por piso novo, arranjar rotundas...
Dados os timings apertados, é interessante constatar que as obras decorrem noite e dia, recorrendo em muitos dos casos a mão-de-obra chinesa.



Foto 1: dado o volume de carros existentes na cidade, conjugado com algum defice de planeamento, mais das vezes o trânsito continua a circular pelas vias em obras levando a que estas sejam feitas e para posteriormente serem refeitas;

Foto 2: A construcção de uma torre das já várias que se erguem na baixa de Luanda (zona que os angolanos querem transformar na Manhatan de Africa!!!), contribuindo simultaneamente para modernização, mas também para a sua descaracterização e congestionamento.

sábado, 12 de julho de 2008

"Um centro comercial em Africa tem outro encanto"

Sabado, 12 de Julho

Após uma semana passada entre o transito e o trabalho (com os contratempos já usuais), e em que a agua se revelou ainda mais escassa (nos ultimos dois dias, nem umas "gotinhas" ao acordar), o cansaço de angola e má disposição começavam a apoderar-se.

Chegados a sábado fomos até Luanda Sul (espécie de nova cidade criada a menos de 20km de Luanda), para lá chegar-mos passamos nas proximidades de diversos moceques. Mas uma vez lá, a paisagem muda, assistindo-se a um boom de construcção (condomínios, centros de exposições, empresas,...), talvez maior do que o verificado na baixa de Luanda.

É também lá que existe um centro comercial, e eu que em Portugal até "não sou grande fã" dos mesmos, lá senti-me num ambiente "familiar"...por momentos não havia pó, não havia pobreza, não havia a tensão e confusão constante das ruas de Luanda...haviam sim salas de cinema, livrarias(...)isto é, por umas horas tudo era "ocidental".

terça-feira, 8 de julho de 2008

Redefinição do conceito de paciencia

Terça-feira, 8 de Julho

Esta para já curta experiência em Angola já me tinha mostrado que a paciência aqui é caracteristica essencial.
Desde o director que falta à reunião porque siplesmente não está, ao que falta porque teve problemas no carro, ao que não consegue reservar sala para um workshop marcados com vários dias de antecedencia (quando têm um edificio de 20 e tal andares novo, ainda maioritariamente por ocupar)...até à empregada que falta simplesmente porque não tinha dinheiro para o transporte ou porque está a chover...tudo nos obriga a paciência e a encarar as situações de forma divertida!

Contudo hoje, após aguardar por um director durante o dia, senti mais na pele o conceito de espera ao regressar a casa...O trajecto trabalho-casa, cerca de 3 km, levou 2 horas!! O transito estava de tal forma caótico que nem as scooters passavam no intervalo dos carros...e nós...esperamos:)

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Aventura de Domingo

Domingo, 6 de Julho

Decidi conduzir...até ao local onde paramos para almoçar tudo correu lindamente.
Contudo, ao regressarmos, quando nos preparavamos para ir colocar gasolina, eis senao...surgem dois senhores vestidos de azuis, vulgos policias, que decidiram mandar-nos parar (outra coisa não seria de esperar visto seguirem dois "pulas" - brancos num carro)!

Após ficarem com a carta, e entrarem dentro do carro,para que nos encaminhassemos para esquadra (segundo eles tinhamos virado numa rua em que não podiamos - tenho serias dúvidas), lá conseguimos chegar "acordo", pagando-lhes uma generosa gasosa..

E lá seguimos rumo a casa, prestando atenção a todo e qualquer sinal de transito...

sábado, 5 de julho de 2008

Primeira Sexta-feira em Luanda

Sexta-feira, 4 Julho,

Logo que cheguei a Luanda trataram de me avisar que cá as sexta-feiras são "Dia do Homem". Isto é, às sextas-feiras os homens angolonos são "livres" de saírem rumo a "aventuras" deixando as suas mulheres em casa (sozinhas?!)
Dada a "importancia do dia para os angolanos" é normal procurarem sair mais cedo do trabalho, "lá para o início da tarde" e a agitação na cidade é ainda maior (caos viário).

Já no que a mim toca após mais um longo dia de trabalho e algum tempo no transito, aproveitamos para ir até á ilha de luanda jantar, usufruindo de ambiente e paisagem mais agradáveis.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Acontecimentos dos primeiros dias...

Terça-feira, 1 de Julho

Após mais um dia de trabalho, ao chegar a casa... surpresa: Não há agua (já me parece normal), nem luz da cidade, nem gerador...(mas tinhamos net do vizinho!!).



Quarta-feira, 2 de Julho

Levantar cedo para evitar transito (temos que sair de casa, todos os dias, por volta das 7h15).
(...)
E depois de mais um dia de trabalho...la vem o acontecimento: mais um desaparecimento misterioso em casa, desta vez um telemóvel novo.Decisão: despedir a empregada!

terça-feira, 1 de julho de 2008

30/06 - Chegada a Luanda


7 da manhã - chegada ao aeroporto - o choque revelou-se inferior ao esperado (expectativas eram mesmo baixas!)



Luanda é uma cidade em mudança (cheia de gruas), com um pó amarelo indiscritivel por todo lado (ao fim de um dia estacionados nas ruas, os carros parecem abandonados, tal a camada de pó), o tempo está ameno.



8.30 - Chegada ao meu lar nos próximos tempo: casa antiga, um pouco degradada, localizada numa rua muito movimentada...consegui umas gotinhas de agua fria para um duche.



9.30 - Decidi não ficar em casa e ao invés ir trabalhar.



Final do dia, ida ao supermercado, preços loucos!! (4 iogurtes-11Euros, um kilo de tomatos - 11,5Euros,...)