quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Campus Inov C13

Hoje fui ao campus do C13 contar a minha experiência no âmbito da apresentação da Leadership (empresa na qual me encontro a estagiar).

Nesta edição são imensos estagiários, cerca de 400, todos colocados numa sala bem reduzida e escura!

Foi interessante estar do outro lado, tendo ainda na memória os pensamentos e experiências da minha semana de campus.
A intervenção resultou num elevado numero de questões não fosse eu estar a estagiar em Angola que continua a ser o país que mais estagiários apontam como o local para onde não querem ir!
E as duvidas continuam a ser aquelas que nos apoquentavam antes de encararmos o desafio.

Ao fim destes 7 meses, concluo que mais do que o país de destino e a empresa que resultam do "matching", a experiência é "aquilo que dela fizermos". Somos nós que temos que procurar o lado positivo e potencia-lo, seja ele pessoal, profissional ou um pouco de ambos.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Ultimos encontros imediatos com a Policia...

1º) Regressávamos do supermercado após um dia na praia, de calção, chinelos e o banco de trás cheio de sacos de compras quando somos mandados parar pela policia porque era de noite e circulávamos sem médios. Após uns minutos de conversa em que nos íamos tentando desculpar, o policia lá puxa pelo assunto gasosa, ao que nós retorquímos que como vínhamos directos da praia (com o carro cheio de sacos de compras!!) não andávamos com dinheiro, mas íamos dar-lhe tudo o que tínhamos... fomos ao bolso em que a nota era de cinco dólares e problema resolvido!!


2º) Sexta-feira passada, transito completamente parado por Luanda, 1hora e meia para fazer 2 km. Iamos lenta, lentamente a caminho do restaurante quando perto de chegarmos e antes de uma rotunda enorme totalmente parada vemos um carro sair uns metros a frente, no lado oposto da estrada. Solução, galgamos o separador central, fizemos uns metros em contra-mão e carro estacionado!
Para nosso azar estava por perto um policia motorizado que nos viu e como tal dirigiu-se a nós.
Começou por respeitosamente passar a multa, até que lhe fomos perguntando se não podíamos pagar no momento, após conversa com um dos colegas 30 dólares resolveram a "maka" (problema) e lá me devolveu a carta!


3º) Esta passou-se com um colega, mas é digna de registo! Seguia ele em sentido contrário quando é interpelado pela policia. Mostrou-se surpreendido, disse que todo o dinheiro que tinha se resumia a 200 Kwanzas (cerca de 2Euros), mas que se o policia quisesse como estava a regressar do supermercado também lhe podia dar uns iogurtes!!! Solução: 200kwanzas e 4 iogurtes e pode seguir!!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Desapareceu o primeiro, o segundo resolveu dar uma volta...venha o seguinte!

Há umas semanas atrás o Soares, motorista da empresa desde que cheguei a Luanda, simplesmente deixou de aparecer...

Após um período de busca de novo motorista, na semana passada foi contratado o Gabriel!
No primeiro dia passei todo o trajecto a puxar o travão de mão para ele conseguir arrancar! Nos dias seguintes lentamente foi conseguindo começar a conduzir...até que na quinta de manhã o motor de arranque do carro ardeu em andamento (susto...vidros e portas não abriram nos primeiros instantes)...Carro para a garagem e passamos a andar num alugado.

Apesar de o Gabriel conduzir mal estávamos a pensar ver como evoluía. Mas para nosso espanto no domingo de madrugada liga-nos a policia porque o tinham interceptado a conduzir o carro da empresa (que supostamente estava na garagem sem motor de arranque) sem documentos e já batido...

Conclusão: A aguardar pelo motorista seguinte!

domingo, 9 de novembro de 2008

Marginal...o cartão de visita de Luanda

Vista de longe a marginal de Luanda ainda mantém uma silhueta elegante, digna de bons registos fotográficos, sobretudo com as luzes da noite...





Contudo os problemas da cidade reflectem-se na mesma...esgotos, delinquência, transito intenso, poluição...
Com vista a renovar a marginal, o Governo Angolano apostou num projecto megalómano, que esta a começar pela conquista de espaço à baía e passará pela alargamento da via e construção de um conjunto de infra-estruturas de apoio ao longo da marginal.

A ver como ficará o cartão de visita?

sábado, 25 de outubro de 2008

Praia...Mussulo

Sábado, 25 de Outubro

Hoje decidimos ir até à "ilha" do Mussulo.
Assim dirigi-mo-nos até ao embarcadouro e apanhamos o candongueiro marítimo (transporte popular, que consiste num barco rudimentar com motor),a preço de "pula", rumo a uma boa tarde praia.


Abaixo fica uma descrição e foto do Mussulo:

"Ao sul de Luanda, encontra-se a “ilha” do Mussulo, na realidade uma restinga envolvida por uma série de pequenas ilhas. No lado continental, de águas calmas, ideais para a prática de desportos náuticos, existem complexos turísticos e uma enorme quantidade de coqueiros. No lado oceânico, com o mar de águas limpas mas mais agitado, existem praias de areia branca"
Nota: Pena proliferarem também pela ilha um grande numero de habitações construídas muito próximas da linha de agua e que destoam na paisagem natural.

sábado, 11 de outubro de 2008

Regresso a Luanda - Aeroporto 4 de Fevereiro

Segunda-feira, 6 de Outubro


Ao sair do avião na passada notei que já identifico o agradável cheiro da terra quente, tão característico de África!

Passada esta boa sensação vêm um conjunto de vicissitudes tão características do aeroporto deste país desde a confusão para levar com o carimbo respeitante à vacinação (embora não vejam sequer o boletim), passando pelos mosquitos sempre tão presentes e até as perguntas dos oficiais de serviço no aeroporto que tentam apanhar o estrangeiro em falha (desta vez tive que mostrar o bilhete de regresso).

Contudo ao fim de pouco mais de uma hora estava eu de bagagem em mãos à saída do aeroporto...correu bem!!

Seguem-se mais uns tempos por Luanda..


PS: 4 de Fevereiro é o feriado referente ao Dia nacional do Esforço Armado (e o nome do aeroporto "internacional" de Luanda)

domingo, 5 de outubro de 2008

Um Pulo a Madrid...

Aproveitando a estadia em Portugal o fim de semana de 27 e 28 foi passado em Madrid.

Valeu pela movida madrilena, pela multidão pelas ruas, pela paella numa qualquer esplanada, pela visita a museus e praças em passo de corrida, pela sangria na Chueca, pelo copo no Katmandu, pela caminhada pelo Retiro, pelas conversas, pela hospitalidade ( Kika,Iva, Rute..)...



quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Choque Cultural (ao contrário)

Durante esta e as próxima duas semanas estarei em Portugal para renovar o visto (3 meses é o limite!)

Ao chegar deparei-me com uma país limpo, airoso...sem pó ou lixo nas ruas! País onde posso sair de casa sem pensar no que vou fazer ou em como vou voltar... País no qual posso falar ao telemóvel na rua...País em que posso lavar os dentes ou os alimentos com a agua que corre das torneiras...

Só estando cá notei muito daquilo a que já me tinha habituado. Dentro de dias nova habituação será necessária!

domingo, 7 de setembro de 2008

Resultado das eleições: 8-1 para os visitados!

O acto eleitoral resultou numa goleada.
Após um resultado desta natureza para quê por em causa o trabalho do arbitro?!

Para o ano há mais...

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Dia D em Angola - Eleições!!

Sexta-feira, 5 de Setembro

Passado o dia de reflexão hoje é dia de eleições, dia histórico para o povo Angolano!
Os observadores europeus e americanos estão por cá e estão aparentemente satisfeitos com o que estão a ver.

Sigo as eleições via TPA (canal publico angolano), as mesas de voto estão repletas...pensam em manter ou mesmo reduzir a abstenção (em 1992 foi de 13%!!!).

(À uns minutos o apresentador fez um apelo ao Sr. Fernando para que se dirija aos estúdios a fim de recolher o seu cartão de eleitor que foi encontrado...prioridades bem definidas!!)

Segue a emissão...

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Eleições dentro de 2 dias...ultimo dia campanha!

Quarta-feira, 3 de Setembro


Após acordar dirigi-me para o meu actual local de trabalho, Sonangol, o bastião do petróleo...mas para minha surpresa encerrada...

A 2 dias das eleições as mais altas instâncias na nação decretaram tolerância (quase obrigatória) de ponto...é dia de campanha...hoje mais do que nunca vêm-se bandeiras na rua, camiões de som, pessoas com camisolas do partido do poder...é o dia dos últimos comícios, "Zedu" estará no cacuaco em busca de votos e dá folga ao povo para que esteja com ele!

Segue-se o dia de reflexão...ou de cura da ressaca...eleitoral claro, claro..

sábado, 30 de agosto de 2008

Eleições em Angola...faltam 6 dias!!

Sábado, 30 de Agosto

As primeiras eleições dos últimos 16 anos em Angola realizam-se já na próxima sexta-feira!

Com a aproximação das eleições o assunto começa a ser recorrente nas conversas, o burburinho começa a ouvir-se mas com uma aparente tranquilo.
Os angolanos parecem calmos e confiantes no bom desenrolar das eleições, contudo têm sempre na memória as eleições de 92 (unicas até hoje) que resultaram no reacendimento da guerra.

Hoje foi dia de ir as compras aproveitamos para dose dupla de enlatados por forma a prevenir as possíveis rupturas das próximas semanas.
É expectável que nas próximas duas semanas o ritmo abrande...até quinta campanha, quinta dia reflexão, sexta de eleições...e seguidamente vem a espera pelos resultados que sairão no decorrer da semana seguinte!

Resumindo, para já tudo tranquilo...à excepção da agua (que na ultima semana só por breves períodos correu nas torneiras de casa)!

domingo, 24 de agosto de 2008

Novo imprevisto: bem resolvido!

Sexta-feira (dia do homem), 22 de Setembro

Saíamos nós de um bar procurando outro mais movimentado quando começamos a sentir a direcção do carro fugir, à medida que iamos andando a direcção cada vez fugia mais...resolvemos parar e depara-mo-nos com o pneu do carro furado.

Após uns minutos em volta das porcas com o "pretenso apoio" do "Nova York" (guarda da obra em frente) e não conseguindo mover o pneu... aparecem o Patrick e o Miguel (dois arrumadores lá da rua) muito voluntariosos...tiraram-nos logo a chave e o macaco da mão e "deitam mãos-a-obra"(...) com alguma discussão (resultado do álcool já consumido pelo Miguel), muitas opiniões (dos vários locais a que se aproximaram para darem a sua dica) e após algumas dezenas de minutos o pneu estava mudado e chegava a altura da "gasosa"...
Resolvemos dar 500 kwanzas (menos de 5euros) a cada um dizendo que era tudo o que tinhamos...contrariamente ao esperado Patrick e o Miguel ficaram muitíssimo agradecidos...apareceu então o "Nova York" reclamando também a sua parte. Miguel perante tal pedido diz-lhe que nada tem a haver dado nada ter feito, contudo tira uma nota de 50 kwanza do bolso e dá-lha.

Em breves minutos o nosso problema estava resolvido, tínhamos arranjado dois companheiros disponíveis a ajudar em caso de novo imprevisto e ainda assistido a uma interessante demonstração de solidariedade entre locais menos favorecidos.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Luanda

A mescla entre a pujança económica Angolana e as suas disparidades é sobretudo visível na capital.


Luanda assemelha-se a um imenso estaleiro, as construções de grande envergadura erguem-se por toda a parte, o pó é imenso, são rasgados e tapados buracos nas estradas diariamente, as vias de saída da cidade sofreram ou estão a sofrer obras de alargamento.

Na mesma cidade coexistem habitações com preços superiores aos das grandes cidades ocidentais e enormes “moceques” (vulgo: “bairros de lata”) assentes sobre toneladas de lixo; vêm-se um grande número de veículos topo de gama, lado a lado com veículos em fim de vida e um sem fim de “candongueiros” (carrinhas toyota hiace de 9 lugares, maioritariamente, em mau estado de conservação e que são o principal transporte público na cidade); ou encontram-se lojas de marcas de luxo com vendedores de rua em frente.

A junção do forte crescimento e grande disparidade económica da cidade com o excesso de população (resultante do êxodo para Luanda aquando da guerra) fazem-na uma cidade tensa, com um trânsito absolutamente caótico (é comum levar cerca de 1 hora para fazer 2/3km) e com o mais alto custo de vida para expatriados do mundo (a oferta é escassa face a uma procura crescente).

Enfim, a Luanda de hoje longe estará da tropical Luanda dos anos 60..as esplanadas da ilha ainda se mantêm...mas a ilha já é uma península, as esplanadas já não estão rodeadas somente por areia e quando se olha o mar, o olhar não se perde no horizonte, mas antes nas imensas embarcações que se dirigem ao porto...

sábado, 9 de agosto de 2008

Vista da janela da sala...










Bonita, não?!


Nas ultimas décadas merce da guerra e do exodo das populações rumo a Luanda, muitos dos apartamentos foram ocupados e, mesmo naqueles onde os seus proprietários se mantiveram, a manutenção das zonas colectivas foi totalmente desleixada e o conceito de condomínio com regras...esquecido!!
Assim, actualmente, as caixas dos elevadores foram tapadas (quase não existem elevadores a funcionar em Luanda) e grande parte dos espaços comuns, que não de passagem obrigatória ,foram ocupados.

Na foto vista da janela do apartamento onde vivo, antigamente dava para um pátio comum, deixando entrar a luz do sol na sala, todavia o pátio foi totalmente ocupado pelo vizinho da direita que o tornou na sua ampla sala privada! (daí o muro e o gradeamento)

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Baixa de Luanda - algumas fotos










1)Baía de Luanda num dia de "Cacimbo", ao fundo a "ilha de Luanda"(península, actualmente)










2)Vista sobre os telhados dos prédios da baixa













3)Hotel que em 1992 serviu de quartel general da Unita durante as eleições
(as marcas da guerra que se seguiu ainda estão bem visíveis)










4)Vista sobre a baía, a azul edifício da polícia

domingo, 27 de julho de 2008

" Em angola não tem gatuno..."






Domingo, 27 de Julho

Hoje decidimos fazer-nos a estrada rumo ao interior de Angola, seguindo a estrada de Cambanbe. Saímos pelo norte de Luanda tendo que fazer a congestionada (inclusive ao domingo!!) ligação até Viana.

Quando já seguíamos à cerca de uma hora em fila, somos interpelados pelos agentes de autoridade que nos mandam parar. Enquanto um falava com o condutor, o outro dirigiu-se aos passageiros pedindo-nos a identificação. Ao entregar-lhe fotocopia autenticada do meu passaporte fez cara estranha e pediu-me para sair do carro dizendo "tem de sair do fresco do carro e habituar-se ao calor de Angola", lá anuí sorrindo..
Após vários minutos de conversa convencendo-o de que uma fotocópia autenticada tem valor, o agente exclama: "Sr Antunes tem que andar com o original, porque usa cópia? Em Angola não tem gatuno...!!"
Após este pequeno incidente lá seguimos viagem...

Após vários quilómetros por caminhos "pouco mexidos pelo homem", com bonitas paisagens onde os imbondeiros são abundantes, e quando a gasolina já escasseava decidimos ficar-nos pelo Dondo .

O Dondo é uma cidade pobre e pequena do interior, algo fustigada pela guerra (as marcas de bala são visíveis em muitas das habitações), onde as pessoas vivem da agricultura.
Ao invés de Luanda aqui as crianças têm sorrisos francos e as adultos ajudam sem esperarem "gasosa":)


Foto 1 e 2 - O dia a dia destas populações...crianças brincando alegremente na rua e mulheres vendendo fruta e legumes na beira da estrada, respectivamente

Foto 3 - O sol a por-se por trás de um imbondeiro

terça-feira, 22 de julho de 2008

Uma outra Angola...










Domingo, 20 de Julho

Este domingo tive a oportunidade de deixar Luanda e visitar outra Angola.
Uma Angola com praias interessantes de aguas quentes e paisagens naturais de grande beleza.

Nestas zonas de praia existem comunidades pescatórias que vivem de forma muito rudimentar, sobrevivendo da pesca e da seca de peixe. Vivem em cabanas de madeira cuja a casa de banho resume-se a uma bacia no exterior e os animais andam soltos, pela praia inclusivé (ver foto).

Aqui, ainda, se vêm crianças com largo sorriso inocente...contudo também já se vêm também jovens que ao avistarem turistas..gritam logo "Gasosa!!"

Este dia de praia e contacto com a natureza funcionou como bom um "escape" permitindo-me abstrair da tensão e confusão constantes de Luanda.

Foto 1 - Caboledo - vista da praia e restaurante de praia; (lá estão as galinhas à solta pela praia, tb avistei um macaco por lá)
Foto 2 - Sangano - vista sobre praia e aldeia piscatória;

Foto 3 - Vista do Miradouro da Lua - Bela paisagem rochosa, que termina na praia;

sábado, 19 de julho de 2008

Luanda - cidade em obras














(Ao fim da terceira semana, finalmente consegui carregar fotos)



Luanda é neste momento um estaleiro, com a aproximar das primeiras eleições legislativas (5 de Setembro) dos ultimos 16 anos, as obras proliferam a um ritmo ,ainda, mais elevado pela cidade.
Além da construção de edificos, nesta altura são abertas e fechadas ruas diariamente, para tapar buracos, por piso novo, arranjar rotundas...
Dados os timings apertados, é interessante constatar que as obras decorrem noite e dia, recorrendo em muitos dos casos a mão-de-obra chinesa.



Foto 1: dado o volume de carros existentes na cidade, conjugado com algum defice de planeamento, mais das vezes o trânsito continua a circular pelas vias em obras levando a que estas sejam feitas e para posteriormente serem refeitas;

Foto 2: A construcção de uma torre das já várias que se erguem na baixa de Luanda (zona que os angolanos querem transformar na Manhatan de Africa!!!), contribuindo simultaneamente para modernização, mas também para a sua descaracterização e congestionamento.

sábado, 12 de julho de 2008

"Um centro comercial em Africa tem outro encanto"

Sabado, 12 de Julho

Após uma semana passada entre o transito e o trabalho (com os contratempos já usuais), e em que a agua se revelou ainda mais escassa (nos ultimos dois dias, nem umas "gotinhas" ao acordar), o cansaço de angola e má disposição começavam a apoderar-se.

Chegados a sábado fomos até Luanda Sul (espécie de nova cidade criada a menos de 20km de Luanda), para lá chegar-mos passamos nas proximidades de diversos moceques. Mas uma vez lá, a paisagem muda, assistindo-se a um boom de construcção (condomínios, centros de exposições, empresas,...), talvez maior do que o verificado na baixa de Luanda.

É também lá que existe um centro comercial, e eu que em Portugal até "não sou grande fã" dos mesmos, lá senti-me num ambiente "familiar"...por momentos não havia pó, não havia pobreza, não havia a tensão e confusão constante das ruas de Luanda...haviam sim salas de cinema, livrarias(...)isto é, por umas horas tudo era "ocidental".

terça-feira, 8 de julho de 2008

Redefinição do conceito de paciencia

Terça-feira, 8 de Julho

Esta para já curta experiência em Angola já me tinha mostrado que a paciência aqui é caracteristica essencial.
Desde o director que falta à reunião porque siplesmente não está, ao que falta porque teve problemas no carro, ao que não consegue reservar sala para um workshop marcados com vários dias de antecedencia (quando têm um edificio de 20 e tal andares novo, ainda maioritariamente por ocupar)...até à empregada que falta simplesmente porque não tinha dinheiro para o transporte ou porque está a chover...tudo nos obriga a paciência e a encarar as situações de forma divertida!

Contudo hoje, após aguardar por um director durante o dia, senti mais na pele o conceito de espera ao regressar a casa...O trajecto trabalho-casa, cerca de 3 km, levou 2 horas!! O transito estava de tal forma caótico que nem as scooters passavam no intervalo dos carros...e nós...esperamos:)

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Aventura de Domingo

Domingo, 6 de Julho

Decidi conduzir...até ao local onde paramos para almoçar tudo correu lindamente.
Contudo, ao regressarmos, quando nos preparavamos para ir colocar gasolina, eis senao...surgem dois senhores vestidos de azuis, vulgos policias, que decidiram mandar-nos parar (outra coisa não seria de esperar visto seguirem dois "pulas" - brancos num carro)!

Após ficarem com a carta, e entrarem dentro do carro,para que nos encaminhassemos para esquadra (segundo eles tinhamos virado numa rua em que não podiamos - tenho serias dúvidas), lá conseguimos chegar "acordo", pagando-lhes uma generosa gasosa..

E lá seguimos rumo a casa, prestando atenção a todo e qualquer sinal de transito...

sábado, 5 de julho de 2008

Primeira Sexta-feira em Luanda

Sexta-feira, 4 Julho,

Logo que cheguei a Luanda trataram de me avisar que cá as sexta-feiras são "Dia do Homem". Isto é, às sextas-feiras os homens angolonos são "livres" de saírem rumo a "aventuras" deixando as suas mulheres em casa (sozinhas?!)
Dada a "importancia do dia para os angolanos" é normal procurarem sair mais cedo do trabalho, "lá para o início da tarde" e a agitação na cidade é ainda maior (caos viário).

Já no que a mim toca após mais um longo dia de trabalho e algum tempo no transito, aproveitamos para ir até á ilha de luanda jantar, usufruindo de ambiente e paisagem mais agradáveis.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Acontecimentos dos primeiros dias...

Terça-feira, 1 de Julho

Após mais um dia de trabalho, ao chegar a casa... surpresa: Não há agua (já me parece normal), nem luz da cidade, nem gerador...(mas tinhamos net do vizinho!!).



Quarta-feira, 2 de Julho

Levantar cedo para evitar transito (temos que sair de casa, todos os dias, por volta das 7h15).
(...)
E depois de mais um dia de trabalho...la vem o acontecimento: mais um desaparecimento misterioso em casa, desta vez um telemóvel novo.Decisão: despedir a empregada!

terça-feira, 1 de julho de 2008

30/06 - Chegada a Luanda


7 da manhã - chegada ao aeroporto - o choque revelou-se inferior ao esperado (expectativas eram mesmo baixas!)



Luanda é uma cidade em mudança (cheia de gruas), com um pó amarelo indiscritivel por todo lado (ao fim de um dia estacionados nas ruas, os carros parecem abandonados, tal a camada de pó), o tempo está ameno.



8.30 - Chegada ao meu lar nos próximos tempo: casa antiga, um pouco degradada, localizada numa rua muito movimentada...consegui umas gotinhas de agua fria para um duche.



9.30 - Decidi não ficar em casa e ao invés ir trabalhar.



Final do dia, ida ao supermercado, preços loucos!! (4 iogurtes-11Euros, um kilo de tomatos - 11,5Euros,...)